Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Poncho Pátria - Jayme Caetano Braun (música)

Meu poncho velho crinudo de tanto andar em tropeada
Hoje que não tenho nada parece que tenho tudo
Nessa maciez de veludo com baeta colorada
Te ganhei num jogo de osso perto de Montevidéo
Onde foi pro beleléo um índio do berro grosso
E sobraste do retoço como um presente do céu

Nesse teu pano há sinuelos de mil rodeios bravios
De campos matos e rios entreverados com pêlo
E manojos de cabelos de todos os rancherios

Dum comércio de carreira me lembro, poncho pachola
Veio esse rasgão na gola de uma faca carneadeira
Um sotreta calaveira que deixei vivo de esmola

Rancho de gola e baeta, poncho pátria castelhano
Te estendo de todo o pano como toalha de carpeta
Ou cortina de carreta pro chinaredo cigano
Às vezes meu poncho pátria até chego a imaginar
Que um dia vais me abrigar na quincha da noite preta
Quando explodir o planeta num holocausto nuclear

Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010