Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Raízes - Jurema Chaves (Poema)


Conservo minhas raízes,
Cultuando a tradição
Numa charla de galpão
Eu participo contente
Do passado sou presente,
O futuro da Nação.

É como um povo sem alma
Um povo sem tradição;
Por isso, com emoção
Falo do meu Pago Sul,
Berço natal que venero,
Do grito do quero-quero,
Do mais lindo céu azul!

No meu pala ninguém pisa,
Mesmo sendo um piazito
Eu não me assusto de grito,
Eu tenho sangue nas veias,
Descendente Farroupilha
Em defesa das coxilhas –
Enfrenta qualquer peleia...

Meu Pago de trinta e cinco,
Pois quem luta sempre vence,
Esta herança me pertence...
Tua bravuras e glórias,
Teus encantos, tuas histórias
Sou gaúcho rio-grandense.


Voltar
CATEGORIAS > Poemas > Letras
CATEGORIAS > Poemas > Compositores > Jurema Chaves

Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010