Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Cruz de Valente - João Sampaio, Ivan Escobar, Elton Saldanha (Música)



Vê se tu enxerga, solita na beira da estrada

Uma cruz alta cravada, bem na quina da coxilha
Ali está um valente que morreu, e o rio grande engrandeceu, no tempo dos farroupilhas
Eufrázio silva, um taura humilde daqui,
Tinha sangue bandeirante, mesclado com guarani
Pra honrar a nossa cria, ficou morto no relento
Enquanto o grande bento, caiu preso na bahia


Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente
Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente


Essa cruz, essa cruz, é uma cruz de guerra
Ali eu vejo um valente, que tombou, por nossa terra


Hoje solito, naquela capela guapa,
A cruz lendária farrapa, vai criando tantas lendas
Tremulam velas, na tristeza dessa tela,
E as flores que as donzelas vão trazer em oferendas
Parece um quadro, pintado no fim da tarde,
Quando um taura sem alarde, traz no olhar uma centelha
Bolhei a perna, na prece tire o chapéu,
Solito bombiando o céu, ao pé de sacro se ajoelha


Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente
Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente


Essa cruz, essa cruz, é uma cruz de guerra
Ali eu vejo um valente, que tombou, por nossa terra


Eufrázio silva, escuta as magoas e as dores,
Dos tauras nos corredores, peleando com o destino
Não ta sozinho, na tua cama parceiro,
Pois na cruz um joão barreio vem cantar e fazer ninho
E quando cruzo por essa cruz farropilha,
Em minha alma brilha o sol dos dias incertos,
Vejo o rio grande retratado nessa cruz,
Espargindo amor e luz, sempre de braços abertos


Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente
Tira o teu chapéu campeiro, pro herói da nossa gente
A cruz da beira da estrada, é uma cruz de valente


Essa cruz, essa cruz, é uma cruz de guerra
Ali eu vejo um valente, que tombou, por nossa terra

Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010