Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Rio Grande do Sul


CAPITAL: Porto Alegre
POPULAÇÃO: 10.978.587 (estimativa de 2006)
ÁREA: 281.748,538 km²
LOCALIZAÇÃO: Região Sul
PONTO MAIS ALTO: o Pico do Monte Negro, em São José dos Ausentes, nos Campos de Cima da Serra, com 1410 metros, à beira da Serra Geral
HABITANTE (GENTÍLICO): Gaúcho
PRINCIPAIS CIDADES: Porto Alegre, Canoas, Gravataí, Viamão, Novo Hamburgo, Alvorada, São Leopoldo, Bagé, Alegrete, Pelotas, Passo Fundo e Sapucaia do Sul.
GEOGRAFIA:
- Norte: Santa Catarina
- Sul: Uruguai
- Leste: Oceano Atlântico
- Oeste: Argentina
HIDROGRAFIA: A hidrografia do Rio Grande do Sul pode ser classificada em três regiões:
- Região hidrográfica da Bacia do Rio Uruguai, cujas águas drenam para o Rio Uruguai;
- Região hidrográfica da Bacia do Guaíba, cujas águas drenam para o Rio Guaíba;
- Região hidrográfica das Bacias do Litoral, cujas águas drenam ou para a lagoa dos Patos e Mirim, ou direto para o oceano Atlântico.
O uso do solo na primeira região está diretamente vinculado às atividades agropecuárias e também agroindustriais.
Principais rios: Uruguai, Ijuí, Jacuí, Guaíba, Caí, Taquari, Ibicuí, Pelotas, Camaquã, Sinos.
CLIMA: Subtropical
O clima do Rio Grande do Sul é subtropical úmido, constituído por invernos, e verões definidos, separados por estações intermediárias com aproximadamente dois meses de duração, e chuvas bem distribuídas ao longo do ano.
Furacão: O furação Catarina, que se formou em 24 de março de 2004 e se dissipou em 28 de março de 2004, foi o primeiro furacão registrado no Atlântico Sul. O furacão atingiu a categoria 2 na Escala Saffir-Simpson, com ventos de até 160 Km/h e que devastaram o extremo nordeste gaúcho e a costa leste de Santa Catarina, causando cerca de 250 milhões de reais de danos.
Tornado: O Rio Grande do Sul é um dos estados do Brasil mais atingidos por esse tipo de fenômeno. O maior tornado já registrado no estado foi o de Muitos Capões, atingindo o fator F2 na Escala Fujita.
VEGETAÇÃO: Matas subtropicais, pinhais e campos.
Mata de Araucárias (ou Pinhais): A floresta subtropical é uma floresta mista, composta por formações de latifoliadas e de coníferas. Estas últimas são representadas pelo pinheiro-do-Paraná (Araucaria angustifolia), que não aparece em agrupamentos puros. A floresta mista ou Mata de Araucárias recobria as porções mais elevadas do estado, isto é, a maior parte do planalto nordeste e partes do centro. Essa formação ocupa grande parte do planalto gaúcho e ainda parte dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Atualmente, é a única das florestas que sofre maior exploração econômica em todo o Brasil, pro ser a única que apresenta grande número de indivíduos da mesma espécie (pinheiros) em agrupamentos suficientemente densos (embora não puros) para permitir ainda mais o extrativismo vegetal.
Campanha (ou Pampas): Predomina no sul e leste gaúcho. Existência das pradarias propiciais à criação de gado. Em uma área na altura da cidade de Alegrete existem areais, comumente confundidos com desertos. A área “desertificada” não tem características diretamente ligadas a um deserto, como as geadas por exemplo, que cobrem de branco essa mancha na Campanha Gaúcha todos os invernos. A ocorrência dos areais é natural, porém tem se agravado devido à ação antrópica.
Vegetação Litorânea: Vegetação úmida ao longo do litoral gaúcho, com grandes extensões de areia.
Mata Atlântica: Abrange as demais regiões gaúchas e é uma formação vegetal brasileira. Acompanhava o litoral do país, do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões meridional e nordeste). Nas regiões Sul e Sudeste chegava até a Argentina e Paraguai.
PONTOS TURÍSTICOS:
- Gramado;
- Canela;
- Cascata do Caracol (Canela);
- Parque Knor;
- Lago Negro (Gramado);
- Serra de Veranópolis;
- Lagoa dos Patos;
- Ruínas Jesuítas de São Miguel das Missões;
- Cânion de Itambezinho;
- Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio (Farroupilha)
- Mercado Público de Pelotas;
- Cascata Osório (Osório);
- Praia da Guarita (Torres);
- Parque da Redenção (Porto Alegre);
- Parque Estadual do Caracol (Canela);
- Catedral Gótica de Santa Cruz do Sul;
- Parque Histórico da cidade de Lajeado;
- Praia do Casino (Rio Grande).
PORTOS:
Marítimo: Porto de charqueadas, Porto de Pelotas e Porto de Rio Grande.
Fluvial: Porto Cachoeira, Porto Estrela, Porto Porto Alegre, Porto Internacional de Porto Xavier.
RELEVO: Montanhas, vales rios, planalto, litoral, canyons, cerros, planícies, lagoas dos Patos e Mirim. O relevo gaúcho é bastante variado, com um planalto ao norte, depressões no centro e planícies costeiras. Ao norte, ultrapassando os 1000 metros e podendo chegar a menos de 100 metros no Vale do Taquari. O ponto culminante do estado é o Pico do Monte Negro, em São José dos Ausentes, nos Campos de Cima da Serra, com 1410 metros, à beira da Serra Geral. O Rio Grande do Sul tem quatro unidades morfológicas: Planalto Meridional, Depressão Central, Escudo Sul-Rio-Grandense e Planície Costeira.
ECONOMIA: Agricultura, indústria, serviços e pecuária.
Agricultura: O Rio Grande do Sul apresenta-se como um estado que se destaca pela sua produção agrícola e pecuária. O setor agropecuário apresentou, em 2004, uma participação de 15,9% no Produto Interno Bruto do estado. No entanto, sabe-se que esta participação é ainda maior se considerada a repercussão na cadeia produtiva que o setor movimenta.
Principais cultivos: soja, arroz, milho, trigo, tabaco, mandioca, amendoim, erva-mate, batata, maçã, uva, laranja, pêssego.
Pecuária: A maior concentração do rebanho gaúcho está no oeste e sul do estado, junto à presença dos campos ou integrando com a produção de arroz.
Criação de: bovinos, ovinos, suínos e equinos.
Indústria: Os dados da estrutura do PIB do estado mostram que a indústria responde cerca de um terço (1/3) da economia do Rio Grande do Sul, sendo a maior fatia desta participação responsabilidade da indústria de transformação, já que a indústria extrativa mineral possui uma participação pouco expressiva dentro da economia gaúcha. O estado apresenta uma indústria diversificada que se desenvolveu a partir das agroindústrias e de outros segmentos ligados ao setor primário. A matriz industrial estruturou-se sobre quatro complexos básicos: o agroindustrial, que inclui as indústrias de alimentos, bebidas e as que utilizam insumos agrícolas; o complexo coureiro-calçadista; o complexo químico; e o complexo metal-mecânico. A indústria de transformação gaúcha alcançou a segunda posição no parque nacional.
Setores: Produtores Alimentícios, Química, Petroquímica, Material de Transporte, Metalúrgica, Tabaco, Papel, Madeira, Couro, Borracha, Calçados.

Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010