Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

segunda-feira, 22 de março de 2010

Timbre de Galo - Pedro Ortaça e Apparício Silva Rillo (Música)


Rio Grande, berro de touro quatro patas de cavalo
Quem não viveu esse tempo vive esse tempo ao cantá-lo
Eu canto porque me agrada neste meu timbre de galo

É verdade que alguns dizem que os tempos hoje são outros
Que o campo é quase a cidade e os chiripás estão rotos
Que as esporas silenciaram na carne morta dos potros

Cada um diz o que pensa isso aprendi de infância
Mas nunca esqueça o herege que as cidades de importância
Se ergueram nos alicerces dos cortins e das estâncias

Não esqueça de outra parte para honrar a descendência
De tudo aquilo que muda, muda só na aparência
E até num bronze de praça vive a raiz da querência

Eu nasci no tempo errado ou andei muito depressa
Dei "oh de casa" em tapera, fiquei devendo promessa
Mas se eu pudesse eu voltava pra onde o Rio Grande começa

E se me chamam de grosso nem me bate a passarinha
Argila do mundo novo não tenha mescla da minha
Sovado a casco de touro com águas de garguejinha

Rio Grande, berro de touro quatro patas de cavalo
Quem não viveu esse tempo vive esse tempo ao cantá-lo
Eu canto porque me agrada neste meu timbre de galo

Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010