Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular

Tradicionalismo Sem Fronteiras no seu celular
Use o Leitor QR Code do seu celular para abrir o link do blog no seu aparelho celular móvel

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Por Ela - César Oliveira (Música)


Por ela invernei uma saudade

Trancei tentos na louca da solidão

Por ela eu plantei uma esperança

No solo morto de um triste coração

De um triste coração

Por ela cavalguei fletes alados

Levei nos peçuelos, os desejos dos amantes

Fui um Don Quixote, vagando pela pampa

Feito um cavalheiro da história de Cervantes

Da história de Cervantes.

Por ela cevei mate nas auroras

Morri aos poucos a cada amanhecer

E renascia em acordes de milonga

Na ilusão de nunca lhe perder

Por ela mudei o rumo dos ventos

Em muitos janeiros tremia de frio

Feito um louco mandava mensagens

Em garrafas navegando pelo rio

Feito um louco mandava mensagens

Em garrafas navegando pelo rio

Por ela a poesia cantou triste

O violão chorou desafinado.

E bateu serenatas nas janelas

Para encontrar um coração roubado

um coração roubado.

Por ela me apaixono todo dia

Um amor febril, que nem sei direito,

Sei que a alma é maestrina campesina

Das calhandras que eu trago no meu peito

que eu trago no meu peito


Rádios Web

Rádios Web
Clique no rádio para conferir as rádios web gaúchas

Pesquise no blog

Tradicionalista amigo!

Mande seu comentário, crítica, elogio ou sugestão para o e-mail: tradicionalismosemfronteiras@yahoo.com.br. Leia ou peça letras de música, vídeos, poesias, lendas e histórias.

Traduza o Blog Tradicionalismo Sem Fronteiras para línguas além fronteiras

SIGA-NOS PELO E-MAIL

Visualizações de página desde Junho de 2010